O que é Enzyme (MLN)?

Enzyme Finance é um protocolo de gerenciamento de ativos desenvolvido na blockchain da Ethereum. O projeto era anteriormente chamado de Melon Protocol, mas foi renomeado para Enzyme. Neste artigo, vamos ver o que é o Enzyme e como ele funciona.

Tradicionalmente em finanças, a ideia de "fundos gerenciados", em que os investidores agrupam capital e definem um gerente para negociar com o todo o dinheiro, tem sido um luxo que apenas grandes investidores podiam se permitir.

Mesmo que os investidores de varejo pudessem fazer parte de um fundo gerenciado, eles provavelmente não teriam acesso a ferramentas avançadas para executar estratégias de trading da mesma forma que os grandes investidores. Então, o que a Enzyme está fazendo para mudar tudo isso?

Como um projeto de finanças descentralizadas (DeFi), o Enzyme permite que usuários invistam em diferentes fundos gerenciados sem barreira de entrada. A plataforma inclui ferramentas de trading avançadas, a capacidade de criar sua própria estratégia de investimento, iniciar seu próprio fundo etc.

O principal objetivo do protocolo é capacitar os investidores de nível empresarial e de varejo a alavancar a DeFi ao gerenciar seus ativos. Cada fundo, geralmente chamado de "cofre", tem um proprietário de cofre que impõe a gestão do fundo.

O que é o Enzyme: principais recursos

  • Estratégias de investimento personalizadas: qualquer usuário pode criar seu próprio fundo com base em uma estratégia de investimento personalizada de sua escolha, e automatizar o fundo para gerenciar dinheiro com base nessa estratégia.

  • De código aberto: a natureza de código aberto do protocolo implica que qualquer novo usuário pode fazer adições e colaborar no código. Na verdade, há uma recompensa máxima de US$ 400.000 para qualquer pessoa que encontre e informe um bug.

  • Grupo diversificado de usuários: a lista inclui gerentes de ativos, gerentes de tesouro, investidores e até organizações de ativos descentralizados (DAOs).

  • DAO orientada pela comunidade: o projeto incentiva a participação da comunidade, permitindo que os usuários participem das mudanças no protocolo usando o token MLN.

  • Auditorias regulares de terceiros: os contratos no protocolo são auditados por empresas renomadas, como a PWC, e estão disponíveis ao público.

  • Integração com os principais projetos de DeFi: as integrações de DeFi da Enzyme incluem projetos de ponta como Uniswap, Aave, Compound, Curve, Convex Finance e muitos outros.

Como o Enzyme funciona?

Como o Enzyme é baseado no Ethereum, todos os custos necessários para executar o protocolo são pagos em Ether, como o custo de usar a capacidade computacional do Ethereum para executar contratos inteligentes do Enzyme.

Para responder à pergunta "Como a Enzyme funciona?. Vamos precisar observar as duas camadas que compõem sua arquitetura:

Camada de fundos: fundos/cofres são criados e gerenciados na camada de fundos. É nela que os usuários interagem com a blockchain da Enzyme. As ferramentas necessárias para gerenciar fundos/cofres também fazem parte da camada de fundos.

Camada de infraestrutura: como o nome indica, a infraestrutura da Enzyme é armazenada e gerenciada na camada de infraestrutura. Essa camada é regida pelo Enzyme Council, uma DAO que supervisiona as regras pelas quais toda a blockchain opera.

Essa camada inclui contratos inteligentes para gerenciar preços de ativos, converter MLN em ETH para pagamentos computacionais etc.

O Enzyme permite que os usuários criem três tipos diferentes de cofres. Eles incluem:

  1. Cofre público: qualquer investidor pode depositar fundos em um cofre público.

  2. Cofre privado: o proprietário do cofre aprova todos os depositantes em um cofre privado.

  3. Cofre híbrido: o proprietário do cofre aprova apenas alguns depositantes com base em configurações personalizadas.

Onde o Enzyme é usado?

O token nativo da Enzyme, MLN, é usado para diferentes fins de utilidade em toda a rede. O valor do token está diretamente relacionado à quantidade que os usuários usam.

Para ser mais específico sobre o Enzyme e como seu token nativo MLN é usado, vamos nos aprofundar em casos de uso específicos:

  1. Fonte de receita: a Enzyme Finance cobra uma taxa "rede" baseada em AUM (introduzida com a última atualização) que pode ser paga com o token MLN. Os usuários podem obter um desconto de 50% pelo uso do token, que é o principal incentivo para o pagamento de taxas com o token MLN. A taxa de indicação, coletada de integrações com diferentes protocolos DEXS e DeFi, também serve como uma fonte adicional de renda.

  2. Projetos de desenvolvimento de fundos: o token MLN ajuda a financiar projetos de desenvolvimento para a rede Enzyme. Além da taxa de rede que serve como uma fonte de capital para isso, 300.600 tokens MLN podem ser criados em um ano para financiar o desenvolvimento do protocolo.

  3. Incentivos de votação: o token MLN é usado para participar e votar nas propostas de governança da DAO. Para incentivar aqueles que participam do Enzyme Council, atualmente há uma taxa de inflação de dois anos de 20% para o valor de mercado total do token no momento do aumento da oferta.

Histórico e fundadores da Enzyme

Anteriormente chamada de Melon Protocol, a Enzyme Finance foi fundada em 2016 pela ex vice-presidente do Goldman Sach, Mona El Isa, e pelo matemático Rito Trinkler. O protocolo foi inicialmente desenvolvido por uma empresa privada suíça chamada Melonport, para permitir que qualquer pessoa operasse seu próprio fundo.

Durante o período de desenvolvimento em 2017, o protocolo arrecadou US$ 2,9 milhões em uma ICO, supostamente dentro de 10 minutos do início da venda do token. O protocolo permaneceu em desenvolvimento até fevereiro de 2019, quando a mainnet foi lançada oficialmente.

Após o lançamento em 2019, a Melonport mudou de um modelo de governança centralizado para se tornar uma das primeiras organizações autônomas descentralizadas (DAO). A Melonport abriu mão do controle de gestão e o passou para o Enzyme Council, um grupo descentralizado de membros que opera o protocolo até hoje.

A Enzyme V2, a segunda versão do protocolo, foi lançada em janeiro de 2021 com uma arquitetura de contrato inteligente completamente nova. A versão mais recente, chamada Sulu, foi lançada em 14 de fevereiro de 2022. A Sulu oferece vários novos recursos, como mais personalização de cofres e novas ferramentas de gestão de riscos.

Tokenomia da Enzyme

Para saber mais sobre o Enzyme e sua tokenomia, vamos observar de perto o mecanismo subjacente que rege o funcionamento dele.

O valor do token MLN se resume a dois fatores principais: emissão e queima. A emissão, um processo que aumenta a oferta total, ajuda a usar os tokens MLN recém-criados para financiar o desenvolvimento do protocolo. A queima e a diminuição da oferta total ajuda a estabilizar o valor do token.

Uma implicação do mecanismo de "emissão e queima" é que o token MLN não tem uma oferta máxima. Em agosto de 2022, havia 2.038.528 tokens MLN em circulação.

Emissão

Embora 300.600 tokens MLN entrem em circulação anualmente, o token MLN deve ser deflacionário no longo prazo. O argumento é que novos tokens são criados para financiar projetos críticos de desenvolvimento. Mas, à medida que os requisitos de desenvolvimento diminuem com o tempo, a necessidade de criar novos tokens também diminui. Além disso, a queima de tokens é outra etapa para controlar a inflação.

Queima

O mecanismo de queima é incorporado no token MLN e o Enzyme Council aprova todas as queimas. Em 2019, quando a migração do token MLN ocorreu, um total de 382.125 tokens foram queimados (até agosto de 2022). Considerando a porcentagem da oferta circulante, isso significa que quase 18% dos tokens em circulação foram queimados.

Como os tokens MLN da Enzyme são criados?

Os tokens MLN são criados por meio da emissão. Usando a blockchain do Ethereum, novos tokens MLN são emitidos usando o mecanismo de consenso de prova de stake (PoS). A emissão para criar novos tokens MLN envolve a adição de novos blocos à blockchain.

A DAO da Enzyme, conhecida como Enzyme Council, decide quando novos tokens MLN devem ser emitidos. Como a oferta não é limitada, um número infinito de novos tokens MLN pode ser teoricamente criado.

Concorrentes da Enzyme

A Enzyme Finance tem um principal concorrente que oferece soluções de gestão de ativos digitais: Unido Enterprise Platform (EP). Enquanto a Enzyme Finance visa investidores de nível empresarial e de varejo, a Unido é focada apenas em empresas.

Se compararmos os dois protocolos em termos de tecnologia, ambos alcançarão efetivamente o resultado pretendido: entregar uma plataforma que permita que os usuários gerenciem seus ativos digitais. Quanto aos detalhes, a Enzyme Finance foi criada na Ethereum, enquanto a Unido EP é baseada na Polkadot. Nesse caso, a Unido EP é melhor em termos de permitir suporte entre blockchains.

Mas, por outro lado, a Enzyme Finance se direciona a um grupo demográfico mais amplo: investidores de varejo. Por enquanto, os investidores de varejo podem não representar uma fonte importante de receita neste espaço. Mas no futuro, um potencial "boom do varejo" poderá acelerar o crescimento da Enzyme Finance mais do que a Unido EP.

Se fôssemos comparar as duas, a Enzyme Finance existe há mais tempo, desenvolveu maior confiança entre os investidores e tem mais usuários. A Enzyme Finance também tem mais ativos em gestão (AUM), o que reflete que o crescimento da Enzyme é maior que o da Unido EP.

Parcerias e investidores da Enzyme

O fundo Venture Capital (VC) Placeholder, a DeFiance Capital e a Collab+Currency são alguns dos principais investidores na Enzyme Finance. Mas, dada a natureza descentralizada do protocolo, qualquer pessoa pode se tornar investidora comprando o token MLN.

Os gestores de ativos podem entrar em parcerias estratégicas com a Enzyme Finance ao lançar seus cofres na blockchain da Enzyme. Em fevereiro de 2021, a Techemy Capital fez parceria com a Enzyme Finance para lançar um portfólio de ETH-BTC usando as estratégias de trading internas do fundo de hedge.

Outros parceiros estratégicos que movem o protocolo da Enzyme por meio de integrações de DeFi incluem:

Análise SWOT da Enzyme

Pontos fortes

Uma das poucas sobreviventes do mercado em baixa de 2018, a Enzyme Finance demonstrou uma resiliência significativa contra as desacelerações do mercado. Como resultado, os investidores que o projeto conseguiu atrair ao longo do tempo representam um dos pontos fortes significativos da Enzyme Finance.

O protocolo desenvolveu uma base sólida de usuários com quase US$ 85 milhões em total de ativos sob gestão (AUM) e 1.148 cofres em agosto de 2022.

Pontos fracos

Atualmente, novos tokens MLN são criados a cada ano para financiar projetos de desenvolvimento. A Enzyme assume que as necessidades de desenvolvimento diminuirão ao longo do tempo para garantir que o token permaneça deflacionário. Mas essa suposição representa um risco inerente à tokenomia do MLN.

Se o protocolo tiver algum problema ou se o desenvolvimento precisar aumentar conforme o projeto precisar ser dimensionado, essa suposição poderá ser um tiro pela culatra. Embora o mecanismo de queima possa controlar a oferta neste caso, nós vimos no passado com a Luna que a queima de tokens pode nem sempre funcionar como pretendido. Além disso, não há uma oferta máxima para restringir o número de tokens em circulação.

Oportunidades

A falta de concorrentes trabalhando em uma tecnologia semelhante representa a oportunidade da Enzyme de capitalizar e crescer. Além disso, o fato do protocolo ter sobrevivido aos mercados em baixa no passado e atualmente, mostra que os usuários veem um caso de uso claro. Esses fatos mostram que o protocolo tem espaço significativo para atrair muitos novos usuários e adicionar aos ativos sob gestão (AUM).

Ameaças

Os mercados em baixa tiram o capital dos ativos de risco. E, embora projetos DeFi como Enzyme Finance tenham um futuro promissor, o mercado coletivamente ainda vê essa área como um investimento de alto risco. Devido a isso, um mercado em baixa é talvez a maior ameaça para o futuro do projeto.

Se, em circunstâncias extremas, o mercado entrar em um estado de pânico muito profundo, o declínio nos ativos sob gestão (AUM) da Enzyme Finance poderá interromper a capacidade do protocolo de gerar taxas e funcionar. A ausência da receita necessária para funcionar poderá fazer com que o projeto seja encerrado.

Roteiro

A atualização mais recente e talvez a mais ambiciosa da Enzyme Finance, Sulu, foi lançada em fevereiro de 2022. O protocolo executou projetos de desenvolvimento com sucesso apesar do ano desfavorável da cripto, que vão desde a redução das taxas de gás até o redesenho da interface do usuário (UI).

A equipe já anunciou que está trabalhando na próxima atualização, Eve. Embora nenhuma data específica tenha sido fornecida, a Enzyme divulgou que a versão v5 incluirá um "universo de ativos ilimitado". Os usuários poderão integrar qualquer ativo (incluindo NFTs) à plataforma. A Eve também terá feeds de preços personalizados, um recurso que permitirá aos usuários adicionar feeds de preços alternativos com base em ativos personalizados.

Atualizações, notícias e destaques da Enzyme

  • A última atualização da Enzyme, "Sulu", entra em operação. As mudanças incluem uma nova interface de usuário (UI), taxas de gás mais baixas, recursos de empréstimo, pools de curva adicionais etc.

  • A Enzyme se integra ao protocolo de crédito de DeFi Goldfinch.

  • A Enzyme anuncia uma queima de token no valor de US$ 1,5 milhões (54.669 tokens MLN).

  • O protocolo realiza eleições periódicas para adicionar novos membros ao Enzyme Council. A Enzyme anunciou a eleição dos representantes dos usuários da Enzyme (EUR) para o Enzyme Council.

  • O Enzyme Council aprova a concessão de US$ 35.000 da Messari.

  • O Enzyme Council adiciona sete novos projetos ao seu ecossistema. Estão incluídos Ocean, SNX, WSOL, FXS, TUSD, PAXG e GNO.

  • A Enzyme adiciona um novo recurso que permite que os usuários disponibilizem seus cofres por meio de white lable, dando mais personalização aos gerentes de cofre.

  • A Enzyme anuncia o suporte à Convex Finance.

  • A Enzyme anuncia a implantação da Polygon. A integração com a Polygon permite a criação e o gerenciamento de cofres com taxas de gás extremamente baixas.

Criação de fundos de índice de cripto: um novo recurso exclusivo da Enzyme

O que são fundos de índice?

Investidores experientes do mercado de ações têm, por incontáveis vezes, confiado nos fundos de índice como uma forma de manter seus portfólios diversificados; para muitos, investimentos em fundos de índice, como o S&P 500, atuam como um proxy para todo o mercado.

Para quem não sabe como isso funciona, os fundos de índice agrupam diferentes ativos e fornecem um rendimento médio baseado nos rendimentos dos ativos subjacentes. Por exemplo, o S&P 500 agrupa as 500 maiores empresas dos EUA no mercado de ações e divulga um rendimento médio.

What Is Enzy Okx

O benefício para os investidores é que eles permanecem diversificados o suficiente para não ficarem superexpostos a qualquer empresa. Se uma empresa falir, isso ainda não resultará em uma perda massiva, pois é apenas uma parte de todo o fundo.

Mas o mais importante é que um fundo de índice, como o S&P 500, é atualizado automaticamente periodicamente, sem que o investidor precise fazer nada. As empresas participantes podem mudar a cada mês, mas o investidor sempre permanece investido nas "500 maiores empresas dos EUA".

A falta de fundos de índice em cripto

Infelizmente, o mercado de criptomoedas ainda não tem um fundo de índice adequado. Os investidores de criptomoedas que buscam uma forma de diversificar seus investimentos precisam fazê-lo manualmente. Mas isso significa acompanhar o mercado e atualizar o fundo de índice manualmente.

Por exemplo, digamos que você deseja colocar dinheiro em um fundo que rastreie os 10 melhores ativos de cripto por valor de mercado. Mas você tem sua própria estratégia de investimento que deseja que o fundo siga. Você deseja alocar 15% para cada um dos três principais ativos de cripto e o valor restante dividido de maneira igual nos demais. Além disso, você deseja que a lista seja atualizada (ou "reequilibrada") a cada mês.

É claro que você terá que reequilibrar manualmente seu portfólio todo mês, pois não há estratégia de investimento automatizada envolvida. Se você tivesse um fundo de índice, não precisaria fazer nada, pois ele seria atualizado automaticamente com base nas regras predefinidas subjacentes.

Criação de fundos de índice com a Enzyme

Criada especificamente para casos de uso como este, a Enzyme talvez seja a única plataforma que permite que os usuários criem fundos de índice de criptomoeda. Além disso, a natureza de DeFi do protocolo significa que qualquer pessoa pode criar um fundo de índice na Enzyme. Um fundo de índice criado na Enzyme permite que você:

  • Escolha os ativos de criptomoeda que o índice terá, como uma combinação de BTC e ETH.

  • Escolha um período após o qual o fundo será reequilibrado.

  • Ganhe renda extra com seu fundo de índice como "DeFi Yield". O blog oficial da Enzyme detalha como isso funciona.

Onde comprar MLN?

A OKX oferece uma forma segura, confiável e fácil de comprar MLN. Nossa exchange tem a liquidez necessária para garantir que não haja slippage. Você pode comprar USDT na página "Comprar cripto" e negociá-la diretamente por MLN.

Como guardar o MLN?

Os tokens MLN podem ser armazenados em exchanges de cripto como a OKX. Para muitos, essa é uma opção muito mais conveniente do que armazenar os tokens off-chain. Você pode negociar diretamente seus tokens com outras criptomoedas se guardar seu MLN na carteira da OKX.

Perguntas frequentes

Quais são os diferentes tipos de taxas cobradas pela Enzyme Finance?

Uma taxa baseada em AUM de 25 pontos base é cobrada para todos os ativos na Enzyme. Além disso, os gerentes de cofre podem cobrar três tipos de taxas: taxa de gestão, taxa de desempenho e taxa de entrada.

Quantas posições posso assumir por vez na Enzyme?

Você pode assumir até 20 posições em produtos da Enzyme por vez. No entanto, a taxa cobrada como resultado também aumentará significativamente e deve ser considerada com seriedade.

Como a Enzyme funciona na Polygon? Isso reduz as taxas de gás?

Sim. Conectar a Enzyme à cadeia Polygon pode reduzir as taxas de gás em até 1.000 vezes. É possível conectar a Enzyme à cadeia da Polygon, possibilitando o lançamento dos cofres da Enzyme na Polygon. Mais informações sobre a implantação da Polygon da Enzyme podem ser encontradas no blog oficial da Enzyme.

O que a Enzyme cobra para criar um cofre na plataforma?

A Enzyme não cobra nenhuma taxa para criar um cofre. Mas, como a Enzyme é baseada na Ethereum, você terá que pagar alguma taxa de gás.

Posso criar um cofre e usar minha própria estratégia de investimento?

Sim, qualquer pessoa pode criar um cofre e sua própria estratégia de investimento na Enzyme. Uma vez implementada, a estratégia de investimento automatizada negociará os fundos de acordo.

Como a Enzyme realiza as auditorias e onde posso encontrar o relatório?

Todos os contratos são auditados por empresas de contabilidade independentes e confiáveis, como a PWC. Os relatórios estão disponíveis ao público e podem ser encontrados no repositório GitHub da Enzyme Finance.

O que é o Enzyme Council e como posso participar dele?

O Enzyme Council é a organização autônoma descentralizada (DAO) da Enzyme Finance. É uma autoridade descentralizada responsável por executar o protocolo.

De acordo com a documentação oficial, você pode se inscrever para o Enzyme Council enviando sua inscrição por e-mail para council@enzyme.finance.

Artigos relacionados
Ver mais
Ver mais